quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

ABUSOS... ATÉ QUANDO??

Li ontem a notícia de que o tenente-coronel do Congo, Mutuare Daniel Kibibi, foi condenado a 20 anos de prisão por ter ordenado seus soldados a atacarem, na noite do Ano Novo, o povoado de Fizi. 49 mulheres contaram suas histórias durante o julgamento, mas é muito provável que nunca se saiba na verdade quantas foram estupradas.



Meu livro Redes de Abuso fala disso. De mulheres que ainda são vistas não como seres humanos, mas como algo que se possa explorar, abusar. Durante muitos meses, acho que mais de um ano, pesquisei a respeito e posso afirmar que a maneira como meninas e, principalmente, meninos são educados desde cedo tem muito a ver com essa cultura de exploração. Precisamos pensar nisso se quisermos que as coisas realmente mudem.

Leiam uma reportagem a respeito: Congo combate males com educação.

5 comentários:

Fernanda disse...

Oii :) Adorei o visual novo do blog, mas principalmente a matéria postada... É muito importante falar sobre esses tabus :)

beijos,

Fer.

Sônia Barros disse...

Tânia, seu blog ficou lindo! Também gostei muito da reportagem. Parabéns! Um beijo!

Ana Gabriela Marin disse...

Em pleno século XXI, há muita coisa a ser trabalhada. Na Líbia, por exemplo, a "família real" governa há mais de 40 anos com "punho de ferro". As mulheres são discriminadas e sofrem muitas desigualdades perante os homens. Não há partidos, nem eleições. Dizem "amém" ao rei.
Se é triste de se ver, imagina de se viver em um lugar assim.

O que nós podemos fazer?

Fernanda disse...

Eu acho que eu primeiro lugar não devemos camuflar o machismo de "cultura". Mesmo sabendo das torturas cometidas contra as mulheres a comunidade internacional alega não poder interferir por ser algo cultural.
Ayaan Hirsi Ali, fala disso em seu livro "A Virgem na Jaula". Ela é uma refugiada do Islã que atualmente vive nos Estados Unidos. Nos conta sobre sua experiência e diz que temos que apoiar as mulheres desses lugares, que muitas vezes querem fugir mas não têm condições.

Tânia Alexandre Martinelli disse...

Ana Gabriela e Fernanda,
Excelentes comentários. Parábéns!
Beijos.